Funcionários públicos perdem direitos sindicais

O governador do Estado norte-americano do Wisconsin, Scott Walker, assinou na sexta-feira a controversa proposta de lei que elimina a maior parte dos direitos dos sindicatos dos empregados públicos, noticia a agência AP.

A assinatura de Walker é uma épica derrota do movimento sindical norte-americano que promete responder com luta. O governador afirmou à AP que "não tinha dúvidas" quanto ao apoio crescente que a medida terá, à medida que as pessoas virem o aumento de eficiência dos serviços públicos.

"O que estamos a fazer aqui é progressista. É inovador", defendeu Walker, que justificou a proposta com o equilíbrio do orçamento estadual. A assinatura da proposta de lei é uma vitória para os republicanos, que têm atacado os sindicatos no seu esforço de reduzir a despesa pública.

A medida foi aprovada na quinta-feira, após semanas de protestos, que levaram milhares de contestatários ao Capitólio [sede do Congresso do Estado, que reúne as duas câmaras do poder legislativo, o Senado e a Câmara dos Representantes]. O líder da minoria democrata no Senado do Wisconsin, Mark Miller, disse que os republicanos não estão a ouvir o povo.

"Os republicanos podem conseguir objectivos políticos de curto prazo, mas a sua agenda radical - a guerra às famílias trabalhadoras - foi exposta, e o povo do Wisconsin, bem como do país, está unido contra ela como nunca", afirmou Miller, em comunicado.Walker pertence à nova e muito conservadora ala dos governadores republicanos que têm procurado restringir os sindicatos da função pública. Vários Estados, como o Ohio e o Iowa, estão a discutir - e a decidir - a redução dos direitos sindicais.

Ler mais

Exclusivos