Dominique Strauss-Khan visita hoje o FMI

O ex-director-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) visita hoje a instituição para se despedir dos antigos colegas, depois de a justiça ter deixado cair as acusações de crime sexual sobre o político francês.

"O antigo director-geral Dominique Strauss-Kahn indicou que, numa visita pessoal ao fundo hoje, gostaria de ter a oportunidade de se despedir dos funcionários", refere um memorando interno do FMI, citado pela agência noticiosa France Presse.

A justiça dos Estados Unidos deteve Strauss-Kahn a 15 de Maio, em Nova Iorque, depois de uma empregada de hotel o ter acusado de agressão sexual e violação.

O processo, que durou três meses, acabou por levar Strauss-Kahn a demitir-se do FMI e a abandonar a corrida às eleições presidenciais francesas de 2012, antes de o juiz ter deixado cair as acusações, após um pedido do procurador de Nova Iorque.

"Todos os funcionários que quiserem, podem encontra-se com Strauss-Kahn esta tarde", diz o memorando.

Strauss-Kahn, de 62 anos, voltou para casa, em Washington, na sexta-feira passada, sem ter feito declarações aos jornalistas.

O político socialista francês, o mais forte dos nomes falados para disputar a presidência francesa contra Nicolas Sarkozy, foi substituído, em Julho, pela ex-ministra francesa das Finanças, Christine Lagarde.