Confrontos entre polícia e manifestantes em St. Louis

400 pessoas desafiaram as autoridades em protesto pela morte de Vonderrit D. Myers de 18 anos. O jovem foi morto com 17 tiros por um polícia que alega que Myers foi o primeiro a disparar.

Algumas dezenas de manifestantes começaram por concentrar-se ao início da noite nas proximidades do local onde o jovem foi morto na quarta-feira, pedindo a detenção do agente responsável, identificado como Darren Wilson. Porém, os protestos subiram de tom e a polícia acabou por usar gás pimenta para obrigar os manifestantes a dispersar ao fim de longas horas.

O chefe da polícia de St. Louis, Sam Dotson, disse a uma estação de televisão local que um dos manifestantes, do meio da multidão, chegou a atirar uma faca a um dos polícias que formavam um cordão de segurança, tentando conter a violência dos protestos. E acrescentou que um carro da polícia, várias lojas e residências particulares foram danificadas. Cerca da meia-noite (hora local) foram feitas duas detenções,

Para o fim-de-semana já estão agendados protestos: várias organizações de defesa dos direitos dos negros convocaram concentrações, alegando que a morte de Myers, se trata de um novo caso de discriminação racial, lembrando o caso de Michael Brown, em Ferguson, outro adolescente negro que foi morto a tiro por um polícia branco de 28 anos.

Ler mais

Exclusivos