Chuck Hagel retratou-se de comentário homosexual

O ex-senador republicano Chuck Hagel, cujo nome é um dos indicados para Secretário da Defesa dos Estados Unidos, retratou-se sexta-feira de um comentário que fez em 1998 depois da nomeação de um embaixador assumidamente homossexual.

Hagel referiu-se ao diplomata James C Hormel como um homem "aberto e agressivamente gay" depois do então presidente democrata Bill, Clinton o nomear embaixador no Luxemburgo.

Numa entrevista ao "The Omaha World-Herald" disse ainda que ser embaixador é um posto "sensível".

Ser embaixador representa é o "nosso estilo de vida, os nossos valores, as nossas normas e creio que ser homossexual é um fator de inibição para fazer um trabalho eficaz", argumentou.

Num breve comunicado, Hagel reconheceu esta sexta-feira que os seus comentários forma "insensíveis" e sublinhou que não refletiam os seus pontos de vista.

"Peço desculpas ao embaixador Hormel e a qualquer LGBT norte-americano (lésbicas, homossexuais, bissexuais e transexuais) que possa questionar o meu compromisso com os direitos civis", acrescentou agora.

O ex-senador disse ainda que apoia "totalmente" que os homossexuais possam servir abertamente nas Forças Armadas e assegurou que está "comprometido com as famílias militares LGTB".

Exclusivos