Hugo Chávez com "restrições no contacto pessoal" por efeitos da quimioterapia

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, revelou hoje que tem muitas restrições no contacto pessoal porque as suas defesas estão debilitadas na sequência do tratamento de quimioterapia para combater o cancro.

"Os glóbulos brancos, vocês sabem que são essencialmente os que protegem, que dão imunidade ao corpo perante ameaças do ambiente, doenças, portanto nesta etapa devo ter muito, muito cuidado [para evitar] um contágio, por uma doença", disse. Num telefonema para a estação estatal venezuelana de televisão, o chefe de Estado venezuelano admitiu alguns sinais de esgotamento. "Cheguei a pedir à minha mãe e aos meus irmãos que ficassem tranquilos em Barinas [estado localizado a sudoeste de Caracas]. Vou estar aqui em privado, com os meus conselheiros mais próximos", disse. Chávez contou ainda que, devido à sua doença, perdeu 15 quilos e que, apesar das restrições no contacto pessoal, se dirigirá hoje à "varanda do povo" para celebrar o seu aniversário com simpatizantes.

"Fiz muitos anos e anos [57]. Estou como a Fénix, isto é o retorno, uma nova vida nasceu em mim", frisou. A Fénix é uma ave mitológica do tamanho de uma águia, referenciada em várias doutrinas e concepções religiosas, que a cada 500 anos se consumia pela acção do fogo, ressurgindo depois desde as cinzas. "Afastando todas estas coisas estou feliz, é sublime este aniversário 57, convido-os desde já para o meu 67º aniversário, em 2021", disse. Em várias localidades venezuelanas os cidadãos prepararam actos para assinalar o aniversário do chefe de Estado que é registado também nas redes sociais, entre elas o Twitter, onde a mensagens de parabéns, através da etiqueta #cumpliendoyviviendo (cumprindo e vivendo) é atualmente o quarto tema mais popular.

Hugo Chávez foi operado de emergência em Cuba a 10 de Junho a um "abcesso pélvico" e, a 01 de Julho, enviou uma mensagem ao país a revelar que também tinha sido submetido a uma segunda operação, em 20 de Junho, durante a qual lhe foi extraído um tumor com células cancerígenas. Regressou a Caracas a 04 de Julho. A 16 de Julho, o parlamento venezuelano autorizou-o, por unanimidade, a viajar para Cuba para se submeter a quimioterapia. Em 21 de Julho, Chávez anunciou que terminou com sucesso o primeiro ciclo de quimioterapia e dois dias depois regressou de surpresa a Caracas, revelando à chegada não ter novas "células malignas" no corpo. "Fui submetido a intensos estudos (...) e devo dizer-lhes que não se detectou presença de células malignas em nenhuma parte do meu corpo, num exame rigoroso de quase um dia", disse. Na última quarta-feira revelou que será submetido em breve a uma nova sessão de quimioterapia e eventualmente a uma terceira fase do tratamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG