Homem que deixou Larry Flynt paraplégico foi executado

Um juiz norte-americano decidira adiar a execução de Joseph Paul Franklin, mas só por algumas horas. O homem, defensor da supremacia branca, foi executado às 12h17 de hoje.

Joseph Paul Franklin, condenado por 22 assassinatos racistas entre 1977 e 1980, morreu por injeção letal de propofol, pela primeira utilizada no estado do Missouri.

A execução deste homem, responsável por Larry Flynt, empresário da indústria pornográfica, ter ficado paraplégico há 35 anos, estava programada para a meia-noite, mas foi adiada por seis horas devido a um recurso que deu entrada no Supremo dos Estados Unidos.

Joseph Paul Franklin atirou sobre Larry Flynt quando este se preparava para responder em tribunal por obscenidades, tendo-o deixado preso a uma cadeira de rodas.

Apesar disso, há creca de um mês, o empresário da indústria pornográfica retratado no cinema em "O Povo contra Larry Flynt", com o ator Woody Harrelson, instou os juízes a não executarem Franklin, numa carta publicada no Hollywood Reporter. "Na minha opinião, a única motivação atrás da pena de morte é a vingança e não a justiça. E penso que um governo que proíbe a morte entre os seus cidadãos não deve estar entre os que matam", escreveu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG