Governo canadiano pede demissão do mayor de Toronto

O ministro do Emprego e Multiculturalismo do Canadá, um dos mais influentes do Governo conservador do país, afirmou na terça-feira que o presidente da Câmara de Toronto devia demitir-se em consequência do escândalo que o envolve.

Jason Kenney considerou que, perante a "situação confusa" criada pelo 'mayor' canadiano Rob Ford, ao ter admitido o consumo de droga e abuso de álcool, este devia demitir-se.

Esta foi a primeira vez que um membro do Governo canadiano pediu ao autarca da maior cidade do país para que se retire.

"O senhor Ford desonrou a função para a qual foi eleito", declarou Kenney, numa conferência de imprensa, no parlamento, em Otava.

"A situação deteriorou-se a tal ponto que creio que ele se deve demitir", acrescentou o ministro, frequentemente apelidado como o 'delfim' do primeiro-ministro, Stephen Harper.

A Câmara Municipal de Toronto votou na segunda-feira a favor da retirada de poderes executivos ao presidente Rob Ford, que permanece no cargo mantendo apenas funções de vereador e que apelidou a sua 'despromoção' de "processo ditatorial".

Depois de uma sessão muito agitada, que durou quase cinco horas, foram votadas, umas a seguir às outras, alterações que pouco a pouco foram suprimindo os poderes e atribuições do presidente da Câmara Municipal de Toronto, como o orçamento ligado às suas funções e uma parte dos funcionários do seu gabinete.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG