Fortuna em prata descoberta em navio naufragado

A sociedade Odyssey, especializada na localização de navios afundados e na recuperação dos tesouros, anunciou ter encontrado no Atlântico Norte os destroços de um navio britânico que se afundou em 1917, com 18 toneladas de prata a bordo.

Há 15 dias, a norte-americana Odyssey tinha confirmado a localização e identificação de um cargueiro britânico afundado em 1941 pelos alemães ao largo da Irlanda, com cerca de 220 toneladas a bordo de lingotes de prata, avaliados em 150 milhões de euros, o "SS Gairsoppa".

Os destroços agora encontrados pela Odyssey são os do "Mantola", um navio britânico afundado em 1917 por um submarino alemão durante a Primeira Guerra Mundial. Encontra-se a cerca de 160 quilómetros do "SS Gairsoppa" e a 2.500 metros de profundidade, de acordo com um comunicado da sociedade divulgado na segunda-feira.

De acordo com a apólice de seguro feita na época pelo governo britânico, o "Mantola" transportava cerca de 18 toneladas de prata, acrescentou. "A cotação actual, o valor da carga ronda os 14 milhões de euros. Tal como no caso do "SS Gairsoppa", a Odyssey vai ficar com 80 por cento do valor do achado, na sequência de um acordo assinado com as autoridades britânicas.

A sociedade precisou que numa só missão vai recuperar os tesouros dos dois navios. Um tribunal norte-americano decidiu recentemente a favor do Estado espanhol, num processo em que a Odyssey era acusada de se ter apropriado do conteúdo de um navio encontrado em 2007. A Odyssey afirmava ter encontrado os destroços de um navio de guerra espanhol, que naufragou em 1804 em águas internacionais. A empresa recuperou o tesouro do navio, que levou para a Florida (sul dos Estados Unidos) sem prevenir as autoridades espanholas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG