Fidel Castro apoia reformas do irmão Raúl

O líder comunista Fidel Castro deu o seu apoio às reformas socioeconómicas do seu irmão Raul, evocando um discurso de 2005 no qual pediu para serem rectificados "os erros" cometidos para salvar a Revolução cubana.

Luta contra a corrupção, "crítica e autocrítica", necessidade de adaptar a economia e o socialismo à época: Fidel Castro, 84 anos, leu, sem comentar, excertos do seu discurso que é, segundo ele, "mais actual que nunca", de acordo com imagens da televisão cubana transmitidas em diferido.

Este aparecimento público "do Comandante chefe", o primeiro desde fim de Setembro, acontece depois de Raul Castro ter lançado em Outubro uma reforma que prevê até ao fim do primeiro trimestre de 2011 a supressão de 500.000 postos do sector público (10% da população activa), no âmbito de uma série de medidas de austeridade que devem ser ratificadas no Congresso do Partido comunista em Abril.

"Envolvemo-nos numa luta contra os vícios, o desvio de recursos e roubos", declarou Fidel Castro. "Entre os erros que cometemos, o mais importante foi acreditar que sabíamos o que era o socialismo ou como construir o socialismo", prosseguiu, sublinhando que as autoridades estão a "rectificar" os erros.

O presidente Raul Castro já assegurou que "as ideias" do seu irmão Fidel estão "presentes em todas" as medidas socioeconómicas - redução das despesas sociais e estimulação do capital privado - destinadas "actualizar" o modelo cubano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG