'Ex' vingam-se divulgando fotos de mulheres e namoradas

A vingança não só se serve fria como se serve sob a forma de imagens de conteúdo sexual explícito ou quase.

Um site americano, que está a ter grande sucesso, tornou-se no instrumento desta forma de vingança nada digna em que ex-maridos e ex-namorados se vingam das suas antigas relações, colocando imagens, e informações, sobre aquelas mulheres.

O site Texxxan.com - que estava hoje inacessível devido a excesso de uso - permite aos homens, que se sentiram enganados ou dececionados nas suas relações, colocarem em linha imagens das suas antidas relações. Muitos não hesitam em acrescentar informações e detalhes que permitem a fácil identificação das mulheres em causa.

O caso tornou-se conhecido quando um professora da cidade de Beaumont, no Texas, soube da existência de fotos suas, seminua, no Texxxan.com, através de uma amiga, conta o Wall Street Journal que revelou a história. Hollie Toups, a professora em questão, hoje com 32 anos, admite ter enviado há alguns anos aquelas imagens ao seu namorado de então.

Na impossibilidade de demonstrar que as fotos foram entregues ao site pelo ex-namorado, Hollie Toups decidiu processar Texxxan.com, que se recusou a retirar as fotos quando isso lhe foi pedido. Em contrapartida, estaria disposto a fazê-lo, desde que fosse pago um determinado valor.

O site assume-se como um local "de vingança pornográfica", o que, independentemente do objetivo, lhe confere, desde logo, um alto nível de proteção jurídica. Nos Estados Unidos, a lei protege os sites consagrados à divulgação de material erótico ou pornográfico por particulares, não sendo muito relevante a forma como é obtido.

Esta é uma prática corrente nos EUA e muitas vezes as imagens são obtidas através de pirataria informática, refere o texto do Wall Street Journal.

Depois da professora, já mais 25 mulheres identificaram imagens suas no site e iniciaram em conjunto uma ação judicial contra o Texxxan.com e também a empresa em cujos servidores está alojado o site, a GoDaddy.com.

A televisão CBS também acompanhou a história, divulgando os depoimentos de algumas das visadas pelo site.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG