Estados Unidos preparam-se para um frio polar

Os Estados Unidos preparam-se hoje para enfrentar um frio polar, com temperaturas extremamente baixas, depois de uma tempestade de neve que já fez pelo menos 11 mortos.

As autoridades apelaram aos norte-americanos para se manterem em casa devido a uma vaga de frio que atinge desde o início do ano o nordeste dos Estados Unidos e o Canadá.

Nos Estados do centro e norte do país, as previsões dos serviços meteorológicos apontam para que hoje à tarde se registem temperaturas "entre -23°C e -29°C, com mínimas que podem cair durante a noite para -34°C" e rajadas de vento que podem fazer com que o frio sentido atinja -45°C ou mesmo -51°C.

Os habitantes de Chicago foram avisados para o frio dos próximos dias. A cidade pode registar na segunda-feira o seu recorde de temperatura mais baixa durante o dia, -24°C, um nível atingido a 18 de janeiro de 1994 e a 24 de dezembro de 1983.

No Minnesota, o governador Mark Dayton já avisou que as escolas públicas vão estar encerradas. "Tomei esta decisão para proteger as crianças das temperaturas muito baixas e perigosas previstas para segunda-feira. Exorto os habitantes de Minnesota (...) a terem grande prudência face a condições meteorológicas extremas", explicou em comunicado.

Os serviços meteorológicos do Minnesota lembraram os riscos de uma exposição a temperaturas excessivamente frias, que podem, por exemplo, gelar a pele em cinco minutos.

No vizinho Wisconsin, são esperadas também temperaturas muito baixas.

A neve que desde sexta-feira cobre o nordeste dos Estados Unidos e o leste do Canadá, e tem perturbado os transportes aéreos, pode agora atingir uma vasta região que vai do sul do Mississippi até Ohio, de acordo com os serviços de previsão do tempo.

No nordeste norte-americano, que registou forte quedas de neve na sexta-feira, o estado de emergência foi decretado em Nova Jérsia e no Estado de Nova Iorque. Desde o passado dia 1, a vaga de frio já fez nos Estados Unidos pelo menos 11 mortos.

Esta tempestade é o primeiro grande teste para o novo presidente da Câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, que assumiu funções a 1 de janeiro e tem apelado aos nova-iorquinos para se manterem em casa.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG