Dador de esperma processado por pensão de alimentos

Um homem de 46 anos que doou o seu esperma para ajudar um casal de lésbicas a ter um bebé em 2009 está agora a ser processado pelo Estado do Kansas para que pague uma pensão de alimentos à criança.

"Não acredito que esta situação já chegou tão longe, e não há nada que ei possa fazer", disse William Marottam o dador, ao jornal The Topeka Capital-Journal.

William Marotta respondeu a um anúncio a pedir um dador de esperma colocado no site Craiglist por Angela Bauer e Jennifer Schreiner. Os três encontraram-se e assinaram um acordo em que o homem abdicava de todos os direitos e responsabilidades parentais em relação à criança, de acordo com a mesma publicação.

O problema começou quando o casal se separou e Jennifer Schreiner tentou obter um seguro de saúde para a menina, agora com 3 anos, através do Estado. Foi então que o Departamento de Crianças e Família do Kansas (DCF) lhe pediu para identificar o dador de esperma, caso contrário o seguro de saúde ser-lhe-ia recusado.

De acordo com o Estado do Kansas, citado pelo The Topeka Capital-Journal, o acordo entre Marotta e o casal é legalmente nulo porque não houve a intervenção de um médico no processo que deu origem à gravidez.

O homem garante que, mesmo com custas judiciais reduzidas, irá gastar neste processo mais do que consegue suportar, e teme o que o futuro lhe reserva. "Já gastei mais de 10% do meu salário anual e não sei quantos homens estão dispostos a gastar a mesma verba", afirmou Marotta, que sublinha acreditar que este processo poderá levar a uma quebra na doação de esperma.

Mesmo assim, William Marotta afirma não guardar ressentimentos contra Jennifer Schreiner por ter dado o seu nome ao Estado. "Estou ressentido pelo facto de Jennifer ter sido pressionada a fazê-lo", declarou ao The Topeka Capital-Journal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG