Cuba vai debater legalização de uniões homossexuais

O Parlamento cubano vai debater, em julho ou dezembro, a legalização das uniões homossexuais, anunciou na segunda-feira a sexóloga Mariela Castro, filha do presidente Raúl Castro.

"Como afirmou a ministra da Justiça, a discussão do assunto está inscrita no plano legislativo de 2012", afirmou, citada pela agência AFP, a diretora do Centro Nacional de Educação Sexual de Cuba, que dirige há vários anos uma campanha a favor do reconhecimento dos direitos dos homossexuais.

A proposta de lei em causa dirá respeito a uma união livre, e não a um casamento, entre pessoas do mesmo sexo.

O anteprojeto de alteração ao Código de Família cubano está a ser avaliado por juristas do Ministério da Justiça e profissionais da União Nacional de Juristas, adiantou Mariela Castro.

A filha do presidente cubano espera que a conferência do Partido Comunista, de 28 de janeiro, adote uma "política de não discriminação", que abre a via à votação da proposta legislativa no Parlamento, que se reúne duas vezes por ano, em julho e dezembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG