Crise económica adia planos de divórcio

Cerca de quatro em cada dez casais com intenção de divórcio nos Estados Unidos adiaram os planos de separação devido à crise económica, segundo um estudo hoje publicado.

O estudo "A Grande Recessão e o Matrimónio", elaborado pelo Projecto de Matrimónio Nacional da Universidade da Virgínia, indica que a crise veio aprofundar as uniões por casamento, uma percepção confirmada por um terço dos norte-americanos.

Contudo, a análise, citada pela agência espanhola Efe, mostra um duplo efeito da crise nos casais. "Para uns, as pressões financeiras associadas à Grande Recessão danificaram os casamentos. Para outros, a crise veio impulsionar um novo compromisso com o matrimónio", explicou Bradofr Wilcox, sociólogo e director do projecto.

Segundo o investigador, alguns casais estão a adiar os planos de divórcio até terem os meios financeiros que o permitam.

Dos mais de 1.200 norte-americanos casados que foram analisados, cinco por cento dizem estar em "alto risco de divórcio", mas mais de metade afirma ter "um casamento feliz ou muito feliz".

Nos Estados Unidos, um divórcio pode custar desde 100 dólares a 20 mil dólares, quando o caso tem de ser resolvido nos tribunais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG