Connecticut e Maryland restringem acesso a armas

Os estados norte-americanos de Connecticut e Maryland avançaram, esta quarta-feira, para a aprovação de legislação para restringir o acesso a armas de fogo, que incluem disposições inovadoras, prevendo, entre outros, a criação de um registo de criminosos condenados.

O Senado de Connecticut, estado onde foram assassinadas 20 crianças e seis adultos na escola Sandy Hook de Newtown, aprovou um pacote legislativo para restringir o acesso a armas e carregadores de munição de alta capacidade, tido como o "mais abrangente" do país, o qual se espera que venha a ter 'luz verde' da Câmara dos Representantes em breve.

O governador estatal, o democrata Dannel Malloy prevê mesmo poder promulgar as novas leis esta quinta-feira.

Entre as novas medidas destaca-se a proibição de compra e venda de carregadores de mais de dez munições, assim como o alargamento da proibição de armas de assalto e o aumento das penas por tráfico e posse ilegal.

A maior novidade contemplada no pacote legislativo prende-se com a criação de um registo estatal de condenados por delitos com armas, o qual estará disponível apenas para as autoridades, o qual, a avançar, será o primeiro em todo o país, segundo os deputados.

Entretanto, a câmara baixa de Maryland aprovou também um pacote legislativo, ao abrigo do qual se exige o registo das impressões digitais dos compradores e proíbe as armas de assalto e os carregadores com mais de dez balas.

O Senado de Maryland já tinha dado 'luz verde' a uma versão similar da legislação no mês passado, faltando somente que os dois projetos sejam harmonizados para que o governador do estado, o democrata Martin O'Malley, promulgue as novas disposições legais.

Desde o massacre de Newtown, a 14 de dezembro, outros estados norte-americanos como Nova Iorque e Colorado aprovaram leis com vista a restringir a compra e posse de armas de fogo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG