Confirmada morte de ex-polícia procurado por homicídios

Os restos mortais encontrados pela polícia na cabana da zona montanhosa de Big Bear, em San Bernardino, Califórnia, pertencem ao ex-polícia Christopher Dorner que era procurado por, alegadamente, ter morto quatro pessoas.

Os testes de DNA permitiram concluir que os restos mortais encontrados na noite de terça para quarta-feira pertencem ao antigo agente de 33 anos, que terá morrido durante o tiroteio com as forças policiais que o cercaram.

A cabana tinha-se incendiado depois do assalto das autoridades e os restos humanos tinham sido encontrados no meio das ruínas. A autópsia confirmou na quinta-feira à noite que se tratava de Dorner. Não foi contudo revelado se o ex-polícia morreu no incêndio ou mais cedo, devido a um tiro da polícia ou autoinfligido.

Christopher Dorner tinha iniciado a 3 de fevereiro uma vingança mortal contra a polícia de Los Angeles, por se sentir injustiçado quando foi expulso da corporação onde trabalhava, em 2008.

Dorner é suspeito da morte da filha de um polícia que julgava responsável pela sua expulsão, assim como do seu noivo. Terá ainda morto um polícia que estava em patrulha junto a um semáforo e outro agente, já durante o cerco à cabana.

O responsável pelo município de San Bernardino, John McMahon, indicou na quarta-feira que o incêndio da cabana não foi posto pelas autoridades. "Não incendiamos intencionalmente a cabana para que Dorner viesse para o exterior" disse John McMahon que admitiu também terem sido, primeiro, empregues outros meios como gás lacrimogéneo e só depois outros recursos pirotécnicos para por fim à situação criada na região.

Exclusivos