Estado Islâmico decapitou 7 pessoas acusadas de bruxaria

Combatentes do Estado Islâmico (EI) decapitaram nas últimas horas sete pessoas acusadas de praticar bruxaria, incluindo três mulheres, na cidade de Mossul, no Iraque, disse hoje um responsável local, citado pela agência EFE.

A fonte, que não se quis identificar, acrescentou que os "jihadistas" se apropriaram dos bens das vítimas e as acusaram de praticar bruxaria e de serem ateus.

As vítimas terão sido presas em julho em dois bairros no norte da cidade de Mossul e foram obrigadas a comparecer perante um tribunal religioso dependente do EI, que as condenou a morrer decapitadas.

Foram executadas na noite passada num lugar público no centro da cidade.

O tribunal religioso ordenou também que os seus bens fossem confiscados a favor dos cofres do EI.

O Estado Islâmico assumiu o controlo da cidade de Mossul a 10 de junho e, desde então, tem vindo a conquistar outras regiões no norte do Iraque, tendo declarado a criação de um califado nos territórios da Síria e do Iraque sob o seu domínio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG