Enfermeira infetada com ébola viajou num avião com 132 pessoas

A segunda trabalhadora do hospital de Dallas a ser contagiada com ébola após tratar do doente Thomas Duncan, viajou de avião na segunda-feira. Apesar de o ter feito antes de apresentar sintomas, as autoridades querem acompanhar todos os passageiros desse voo. (Atualizada às 19.27)

Segundo a CNN, a mulher viajou de Cleveland para Dallas e perante a confirmação de um segundo caso de contágio na equipa que tratou o liberiano (que faleceu no dia 8), o centro para controlo de doenças dos EUA (CDC, na sigla inglesa) está a tomar todas as precauções para evitar que o contágio do ébola aumente no país.

A transmissão do vírus só acontece quando começam a surgir sintomas, pelo que os 132 passageiros do voo não deverão correr qualquer perigo, mas as autoridades não querem correr riscos. O CDC já falou com a mulher para identificar as outras pessoas com quem esteve em contacto. A trabalhadora do hospital vive sozinha e as autoridades vão proceder à desinfeção do seu apartamento.

O diretor do CDC, Tom Frieden, explicou que as duas enfermeiras, que estão infetadas, trataram de Thomas Duncan numa fase em que este "produzia muitos fluídos corporais". Salientou ainda, segundo a BBC, que a mulher que viajou de avião, não deveria ter sido autorizada a fazê-lo, ainda mais quando se encontrava a ser acompanhada pelas autoridades, por razões de segurança, por ter sido uma das pessoas que tratou do liberiano infetado com o vírus do ébola.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG