Doente com ébola nos Estados Unidos passou pela Europa

Dois dias depois de começar a sentir-se doente, o homem foi ao hospital, mas mandaram-no para casa. Há suspeita de segundo caso. Bruxelas foi ontem informada da passagem do paciente pelo seu aeroporto

A primeira pessoa a ser diagnosticada com ébola nos Estados Unidos foi mandada para casa com uma receita de simples analgésicos na visita inicial que fez ao Texas Health Presbyterian Hospital, dois dias após desenvolver sintomas da doença e quatro dias depois de chegar a Dallas. Ontem, ficou a saber-se que quando deixou a Libéria para os Estados Unidos, fê-lo através de Bruxelas, no dia 19 de setembro.

O ministro belga da Saúde adiantou que as autoridades nort--americanas informaram Bruxelas que realmente o homem não apresentava sintomas e que, por isso, não poderia ter infetado ninguém. Desta forma, adiantou a mesma fonte, as autoridades belgas não procederam à localização dos passageiros e tripulação da Brussel Airlines - uma das poucas companhias que ainda voam para Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa - que viajaram com o paciente.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG