Divulgado vídeo em que polícia mata a tiro rapaz de 12 anos com arma de brincar

Incidente ocorreu no sábado, em Cleveland, EUA. Vídeo hoje divulgado a pedido da família do jovem morto mostra como um dos agentes abre fogo poucos segundos depois de chegar.

Autoridades de Cleveland, nos Estados Unidos, revelaram hoje em conferência de imprensa imagens de câmara de viodeovigilância do incidente entre a polícia e um rapaz de 12 anos, Tamis Rice, morto a tiro por um agente que terá confundido a pistola de brincar que o rapaz tinha com uma arma verdadeira.

O vídeo foi divulgado a pedido da família de Rice, noticia o canal WKYC.com, subsidiário da NBC. "Pensamos que as ações do agente que tirou a vida ao nosso filho devem ser tornadas públicas. Pedimos aos cidadãos da cidade de Cleveland e de toda a zona nordeste de Ohio que mantenha a calma. Pedimos ao público que se manifeste de forma pacífica", lê-se numa carta de Samaria Rice e Leonard Warner, os pais do jovens, em que pede a divulgação do vídeo.

Vídeo editado com o momento em que a polícia chega ao local e dispara

A polícia divulgou o vídeo em várias versões. Além da editada, que reproduzimos em cima - e que centra o momento em que a polícia chega ao local - o vídeo completo, com quase oito minutos, permite ver Tamis Rice a chegar ao parque, com o que aparenta ser uma arma na mão. Senta-se num banco sob um telheiro e aí fica, supostamente manuseando a réplica de pistola (o vídeo não tem resolução suficiente para se perceber o que faz). Minutos depois, chega um carro patrulha, vendo-se o rapaz cair inanimado poucos segundos após um dos agentes sair do carro.

Desde a primeira hora, as autoridades norte-americanas assumem que o agente disparou dois tiros na direção do rapaz de 12 anos, justificando o ato com o facto de este se ter recusado a obedecer à ordem policial de mostrar as mãos, tendo feito um movimento como se fosse sacar uma arma da cintura.

Versão completa do vídeo hoje divulgado

A polícia fora chamada ao Centro Recreativo de Cudell através de uma chamada para o 911 (o equivalente ao 112 nos EUA) de um homem que se queixava de estar um rapaz a manejar uma arma no parque.

"Ele está sempre a puxar da arma. Provavelmente é falsa, mas ele está a assustar toda a gente", disse o homem ao telefone, cuja queixa está gravada.

As autoridades defendem que, ainda que se tratasse de uma arma falsa usada nos jogos de "airsoft" (sendo portanto incapaz de usar munições reais), uma vez que fora retirada a patilha de segurança laranja fluorescente que este modelo inclui era impossível distingui-la de uma pistola verdadeira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG