Dilma chora ao receber relatório que expõe atrocidades da ditadura

Mais de 200 dos 377 indivíduos acusados de crimes contra a humanidade durante a ditadura militar brasileira estão vivos e relatório da Comissão Nacional de Verdade, ontem apresentado, pede que sejam responsabilizados

Num momento de divisão política entre esquerda e direita no Brasil, a presidente Dilma Rousseff recebeu ontem, de forma solene, o relatório da Comissão Nacional da Verdade, que ao longo de dois anos e sete meses investigou os crimes da ditadura militar no país. O regime de exceção vigorou de 1964 a 1985 e Dilma participou ativamente na reação contra a ditadura, tendo sido presa e torturada. Ao receber o documento, em Brasília, a presidente não se conteve e chorou.

Leia mais na edição impressa ou no epaper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG