Detidos dois homens que degolaram militar na rua

Um militar foi hoje morto perto de um quartel londrino por dois indivíduos, feridos entretanto a tiro pela polícia, num ataque que o primeiro-ministro, David Cameron, classificou como "manifestamente terrorista".

Veja a reportagem da ITV (disponibilizada no YouTube) com declarações de um dos presumíveis assassinos:

Ao falar em Paris, durante uma conferência de imprensa conjunta com o Presidente francês, François Hollande, Cameron disse que o ataque ao presumível militar era "um ato bárbaro (...) manifestamente de natureza terrorista".

No que foi considerado um movimento dramático, o comité governamental para as respostas de emergência foi convocado, depois do assassínio, que algumas testemunhas descreveram como uma tentativa de degolação com objetos que seriam uma faca de cozinha e um cutelo.

Alguns relatos anteriores sugeriram que o ataque poderia ter sido de inspiração islamita, apesar de não ter havido confirmação oficial.

O incidente ocorreu à luz do dia, numa rua situada a cerca de 200 metros do quartel da Artiharia Real, em Woolwich, uma divisão administrativa situada no sudeste londrino.

A polícia foi chamada às 14:20, com relatos de que um homem estava a ser atacado por outros dois indivíduos.

Antes de as autoridades chegarem os suspeitos chegaram a gritar ameaças aos transeuntes no local. Alguns gravaram mesmo o momento através de telemóvel.

O comandante policial, Simon Letchford, disse que os polícias e, depois, os bombeiros, quando chegaram encontraram um homem que foi declarado morto.

"Dois homens, dos quais tínhamos a informação de que eram portadores de armas, foram alvejados pela polícia. Foram levados para hospitais diferentes em Londres, onde estão a receber tratamento", acrescentou.

Disse ainda que iria haver uma presença policial reforçada na área e apelou aos residentes para que mantivessem a calma.

Na sua conta na rede social Twitter, Cameron escreveu: "O assassínio em Woolwich é verdadeiramente chocante".

Acrescentou que tinha solicitado à ministra do Interior, Theresa May, que dirigisse uma reunião do comité governamental de resposta a situações de emergência (COBRA, na sigla em Inglês).

Fotos de testemunhas mostram uma ambulância aérea a aterrar na estrada e três corpos por terra, com dezenas de 'mirones' a observar a cena depois da chegada da polícia.

Um eleito por Woolwich and Greenwich, Nick Raynsford, disse que a informação que tinha era a de que o morto era um soldado.

Acrescentou que tinha falado com um comandante policial local, Richard Wood, e um tenente-coronel do quartel de Woolwich.

"Um indivíduo está morto e dois outros estão gravemente feridos e no hospital. Pensamos que a vítima foi um soldado. Ignoramos as circunstâncias do incidente", especificou.

O Ministério da Defesa revelou que estava a fazer uma investigação urgente, devido ás informações de que o morto era um militar.

O líder do oposicionista Partido Trabalhista, Ed Miliband, escreveu no twitter: "Chocado pelos eventos aterradores em Woolwich. Todo o país vai ficar horrorizado pelo que aconteceu".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG