Primeiras indemnizações a famílias de vítimas do 447

A Justiça do Rio de Janeiro concedeu esta semana a primeira indemnização no valor de 134 mil euros a familiares de passageiros do voo 447 da Air France, desaparecido no último dia 31 de Maio.

A família do brasileiro Walter Nascimento Carrilho receberá no dia 30 de Junho cerca de 5,5 mil euros durante 24 meses, mais um seguro de 18 mil euros. A decisão foi tomada através de uma tutela antecipada que envolve o pagamento de pensão e a garantia de atendimento psicológico para a mulher, os pais, os três filhos e a irmã da vítima.

O advogado da família utilizou o argumento de tutela antecipada, pois sem certidão de óbito, a família não pode receber pagamentos da Segurança Social, seguros nem o valor da rescisão de trabalho da empresa em que a vítima trabalhava. O advogado adiantou que vai requerer a revisão dos valores da pensão, já que inicialmente foi pedido o equivalente a 80 salários mínimos, o equivalente a cerca de 14,6 mil euros, ou 40 mil reais.

O advogado explicou que o valor requerido leva em conta um estudo psiquiátrico que recomendava um tratamento médico à família de dois anos. "Esse valor vai dar tranquilidade financeira à família".

A decisão da Justiça brasileira levou em conta o rendimento mensal da vítima mais a sobrevida de Carrilho, que tinha 42 anos e trabalhava para uma empresa francesa. O advogado ressaltou que o cálculo para a indemnização de cada passageiro será diferente, dependendo da idade e das condições económicas. Quanto à companhia aérea, ele acredita que não haverá dificuldade de a empresa indemnizar. "Não vejo grande dificuldade no caso. Com a Air France, não tem o que discutir, não há como resistir, ela não tem saída", afirmou.

Segundo o advogado, o seguro previsto para os passageiros do voo 447 é de 560 milhões de euros.

Entretanto, as operações de busca continuam, não havendo prazo previsto para o seu fim.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG