Grande afluência às urnas em Nampula, "cidade do cimento"

O centro da cidade de Nampula registou hoje de manhã uma grande afluência às urnas, em contraste com a periferia da capital do maior círculo eleitoral de Moçambique onde se viam poucos eleitores, observou a Lusa no local.

Na chamada "cidade de cimento", verificou-se grande participação manifestada pelos cidadãos, com filas de mais de 50 pessoas, e as autoridades eleitorais responderam com um processo organizado.

Já nos bairros periféricos, os escassos postos de votação com elevada participação revelavam grande desorganização e os membros das mesas de voto não conseguiam encaminhar os eleitores, alguns dos quais ausentes nos cadernos.

Na Escola Secundária 12 de Outubro, nos arredores da cidade de Nampula, o processo de votação arrancou mais tarde, devido à falta de cadernos eleitorais no local.

Com 2.079.129 cidadãos recenseados, Nampula é a principal província eleitoral de Moçambique, elegendo 47 dos 250 deputados da Assembleia da República, à frente da Zambézia (43 mandatos), onde fontes locais indicaram à Lusa uma enorme afluência às urnas nas primeiras horas da manhã.

Mais de dez milhões de moçambicanos escolhem hoje um novo Presidente da República, 250 deputados da Assembleia da República e 811 membros das assembleias provinciais.

No escrutínio, concorrem três candidatos presidenciais e 30 coligações e partidos políticos.

Exclusivos