Dilma Rousseff ausente da final da Taça das Confederações

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, não vai à final da Taça das Confederações em futebol, no Rio de Janeiro, segundo a sua agenda oficial, por recear ser vaiada, segundo o site do Correio Braziliense.

Da agenda oficial de Dilma Rousseff não consta a final da Taça, que vai ser disputada entre as seleções do Brasil e de Espanha o domingo, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Na abertura deste torneio, há duas semanas, em Brasília, a Chefe de Estado foi vaiada e não proferiu o discurso que tinha preparado.

Segundo o site noticioso, Dilma Rousseff foi convidada pela FIFA para participar na cerimónia de entrega dos troféus da final da Taça das Confederações, mas ainda não tinha decidido se iria.

"O temor é de ser hostilizada durante a entrega das medalhas aos atletas", lê-se na notícia.

A Secretaria de Comunicação chegou a confirmar a presença da presidente antes da divulgação da agenda oficial, o que aconteceu sexta-feira à noite.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.