Ataque da Renamo causa um morto no sul do país

Um ataque atribuído a "homens armados da Renamo" causou hoje um morto em Mavume, no distrito de Funhalouro, província de Inhambane, a cerca de 450 quilómetros a norte de Maputo, noticiou a emissora pública Rádio Moçambique.

A estação, que não identificou a vítima, noticiou que as tropas da Renamo vandalizaram infraestruturas sociais e pilharam bens de consumo, tendo ainda assaltado o centro de saúde local, donde retiraram medicamentos.

A população da zona começou a retirar-se para lugares considerados seguros, como Funhalouro, Morrumbene e a cidade da Maxixe.

O governo distrital tinha criado naquela região um centro de acomodação às famílias de Pululo, zona onde, desde o início do ano, circulam homens armados da Renamo.

O administrador de Funhalouro, Afonso Machungo, disse que a informação sobre a vandalização de infraestruturas sociais em Mavume é preocupante e apelou a população para se manter calma.

"Estamos a monitorar a situação e o nosso apelo é no sentido de as populações manterem a calma porque o governo está a tomar as medidas necessárias para garantir a segurança a sua segurança", Machungo, citado pela Rádio Moçambique.

A tensão militar no centro do país tem-se agravado nos últimos meses, opondo elementos armados ligados à Renamo e militares governamentais no centro do país.

Um dos pontos altos da tensão existente foi a invasão à base de Afonso Dhlakama, líder da Renamo, na Gorongosa. Desde então, o dirigente do maior partido da oposição continua em parte incerta.

Em contrapartida, têm sido frequentes escaramuças e ataques a veículos militares na Estrada Nacional 1.

Exclusivos