Fretilin e CNRT negam coligação

O Conselho Nacional da Reconstrução de Timor-Leste (CNRT) e a Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) negaram hoje a existência de uma coligação pós-eleitoral e de um "governo sombra" divulgado na imprensa.

A imprensa timorense divulgou um alegado governo de coligação entre os dois partidos, liderado pelo atual primeiro-ministro, Xanana Gusmão. O presidente da Fretilin, Francisco Guterres Lu Olo, era apontado como presidente do parlamento nacional.

O alegado governo "sombra" incluia também os nomes de Rui Araújo (Fretilin) e da atual Procuradora-Geral da República, Ana Pessoa, nos cargos de vice-primeiros-ministros.

O líder do partido União dos Filhos da Montanha (Kota), Manuel Tilman, aparece como presidente do Tribunal de Recurso.

"Isso é mentira", afirmou à Lusa o secretário-geral do CNRT, Dionísio Babo.

A Fretilin também recusou, em comunicado divulgado à imprensa, a existência de qualquer governo "sombra".

Timor-Leste realiza eleições legislativas no próximo 07 de julho às quais se candidataram 21 partidos e coligações.

Responsáveis da Fretilin e do CNRT afirmaram em entrevistas à Lusa estarem disponíveis para fazer coligações pós-eleitorais caso não vençam o escrutínio com maioria.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG