Exército retoma vila e prossegue ofensiva contra Renamo

Forças armadas moçambicanas prosseguem operações contra elementos da Renamo, tendo recuperado o controlo de uma localidade do país e, segundo fonte militar, terão identificado o local onde se encontra Afonso Dhlakama.

O exército governamental recuperou o controlo da sede da vila de Maringué, Sofala, centro de Moçambique, e tomou de assalto a sede da Renamo, onde estavam aquartelados os guerrilheiros, disse hoje à Lusa fonte militar.

"Acabámos de ocupar a sede do partido (Renamo), em defesa da população, pois os militares da Renamo já passeavam armados sem o mínimo de respeito" disse por telefone à Lusa um militar do exército, falando sob anonimato.

Elementos da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), maior partido da oposição, controlavam a sede do distrito de Maringué há sensivelmente uma semana, após confrontos, tendo encontrado resistência da Polícia.

O ataque da Renamo a Maringué, o quartel-general do movimento durante a guerra civil, foi justificado pela ofensiva do exército, na ocupação da base de Sadjundjira, onde o líder Afonso Dhlakama, vivia há um ano, até que fugiu para um lugar incerto na semana passada.

Para já, desconhece-se se houve vítimas dos confrontos de hoje.

Ontem, uma fonte militar afirmou conhecer a localização do líder da Renamo, Afonso Dhlakama. "Está na margem do rio Vunduzi, entre duas montanhas", acrescentou, referindo uma primeira serra, visível da base, que tem atrás de si uma outra elevação, da qual está separada por aquele rio, que nasce na Gorongosa. "Está lá em cima" disse, apontando para aquela serra, que domina a base de Sadjundira.

A mesma fonte, que acrescentou pormenores sobre o alegado estado de saúde do líder da Renamo, recusou afirmar se decorrem operações para a sua captura.

"Se fosse para o apanhar, já tínhamos saído", disse, por sua vez, um soldado ali estacionado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG