Dilma diz que "todo o mundo pode cometer corrupção"

O tema da corrupção foi um dos abordados no último debate entre os candidatos presidenciais brasileiros antes da primeira volta, ontem à noite na TV Globo.

"Não acho que sejam alianças que definam corruptos, corruptos há em todo o lugar. A abertura a todas as atividades de investigação é característica do meu governo. Não acredito que ninguém esteja acima de corrupção. Acho que todo o mundo pode cometer corrupção. As instituições devem investigar", disse a Presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo Partido dos Trabalhadores (PT), quando questionada sobre os escândalos da Petrobras.

Mais à frente no debate, o candidato do Partido da Social Democracia Brasileira, Aécio Neves, disse ser "vergonhoso" o que está a acontecer nas empresas públicas brasileiras. "A Petrobras deixou há muito tempo as páginas de economia para, diariamente, nos surpreender nas páginas policiais", indicou, mostrando-se indignado por ver o estado brasileiro "ao serviço de um projeto de poder".

Aécio resolveu também atacar a candidata do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Marina Silva, que surge à sua frente nas sondagens. E lembrou que ela também estava no PT durante o escândalo do "mensalão".

A última sondagem Datafolha, divulgada ontem à noite, mostra uma queda das intenções de voto em Marina, para os 24%, com a subida de Aécio para os 21%, ficando em empate técnico (a margem de erro são dois pontos). Dilma surge à frente com 40%.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG