Conselheiro de Estado pela Renamo denuncia "ataque do exército"

O membro do Conselho de Estado de Moçambique António Muchanga denunciou à Lusa a ocorrência de um eventual ataque, hoje, à Serra da Gorongosa, onde provavelmente se encontra o líder do principal partido da oposição, Afonso Dhlakama.

"O dia de hoje pode ser de banho (de sangue), porque temos conhecimento de que todos os militares que estavam com o Presidente (moçambicano, Armando Guebuza) na Presidência Aberta vão para uma batalha final. Foi a decisão que o Presidente da República tomou ontem (quarta-feira) no fim da sua visita a Manica", disse António Muchanga.

O membro do Conselho de Estado indicado pela Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), oposição, falava à Lusa à margem da "manifestação contra o Governo" pela "guerra não declarada e os raptos" que assolam diversas regiões moçambicanas.

"Neste momento, há muita gente a dirigir-se à zona de Sadjudjira, Gorongosa e Maringué para combater os guerrilheiros da Renamo. Portanto, o discurso de que o que se pretende são as negociações não está a corresponder a verdade", indicou António Muchanga.

Na quarta-feira, o Presidente de Moçambique afirmou que os confrontos violentos com os antigos rebeldes não implicam um regresso à guerra civil, reiterando que o país permanece uma aposta segura para os investidores.

"Eu não penso, e este é um forte 'não', que estejamos de regresso à guerra", disse Armando Guebuza, numa entrevista à agência AFP, quando Moçambique vive a pior tensão política e militar desde o fim da guerra civil de 16 anos, em 1992.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG