Confirmada a sétima vítima portuguesa

O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, confirmou ao DN que uma das vítimas dada como angolana tem dupla nacionalidade.

Subiu para sete o número de portugueses que morreram na sexta-feira no avião que se despenhou no Parque Nacional de Bwabwata, na Namíbia. José Cesário já tinha ontem salvaguardo a possibilidade de haver mais portugueses no avião das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) que cumpria a rota entre Maputo e Luanda.

Tal como aconteceu com o empresário Sérgio Soveral que na lista da LAM aparece como brasileiro, mas que se veio a saber que tinha também a nacionalidade portuguesa, hoje há a confirmação que uma da vítimas angolanas tem dupla nacionalidade.

O secretário de Estado das Comunidades disse ainda que estão a ser analisados mais dois casos, explicando que é preciso ter o nome completo da pessoa para saber se tem dupla nacionalidade e que as companhias só têm, por vezes, o primeiro e último nome.

Os corpos das 33 pessoas que morreram no acidente (27 passageiros e seis tripulantes) já foram transportados para a capital da Namíbia, Windhoek, estando atualmente a decorrer os procedimentos legais para serem transladados para os países de origem.

O voo TM 470 despenhou-se na sexta-feira não sendo ainda conhecidas as causas do acidente. O site que monitoriza acidentes com aviões, The Aviation Herald, revela que o Embraer 190 iniciou repentinamente uma descida de 1500 metros por minuto antes de desaparecer do radar. Já hoje, Erickson Nengola, responsável pelas investigações de acidentes aéreos na Namíbia, afirmou que no momento em que ocorreu o acidente com o avião das LAM as condições meteorológicas eram boas, mas as autoridades locais não conseguiram estabelecer contacto com a tripulação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG