Chuvas desalojam 750 pessoas em Manica

Pelo menos 750 pessoas ficaram desalojadas e 140 casas foram danificadas em cinco distritos da província de Manica, devido às fortes chuvas que assolam a região, disse hoje à Lusa fonte oficial.

João Vaz, delegado do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) de Manica, disse que nos últimos dois dias várias pessoas ficaram sem abrigo devido ao desabamento de suas casas, a maioria de construção precária, além de inundações em áreas agrícolas e destruição de vias de acesso.

"Nas últimas 48 horas, 42 casas desabaram na cidade de Chimoio e em Chitobe (Machaze) totalizando 140 casa destruídas desde o início das chuvas", disse à Lusa João Vaz, prometendo apoio aos casos mais necessitados.

"Estamos a assistir as pessoas com tendas e plásticos de reconstrução, com o apoio da Cruz Vermelha local, que também está a doar às vítimas utensílios domésticos", explicou João Vaz.

Devido a intensas chuvas na região a bacia do rio Lucite transbordou ao passar para 7.8 metros (dos 5.5 do nível de alerta), cujo volume de água está a inundar várias áreas agrícolas na região de Donbe (Sussundenga).

As chuvas também provocaram a intransitabilidade de várias vias de acesso, condicionando o trânsito para o distrito de Tambara, a norte de Manica, a viaturas todo-o-terreno, devido a subida do caudal do rio Muira, com o curso de água acima de um metro de altura.

"Estamos a apelar através dos comités de gestão de risco a retirada de equipamentos agrícolas nas zonas ribeirinhas e as pessoas a tomarem medidas de precaução nas zonas de risco, sobretudo evitar a travessia de rios", adiantou João Vaz.

As chuvas já fizeram 11 mortos nas últimas cinco semanas na província de Manica, sobretudo nos distritos de Manica, Barue, Gondola, Tambara, Machaze e cidade de Chimoio, fortemente atingidas por "chuvas torrenciais e raios", fenómenos comuns épocas chuvosas, que vão de outubro a março.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG