Barricado entrega-se após 8 horas em hotel de Brasília

Homem invadiu o Hotel Saint Peter, no centro de Brasília, fez um refém e ameaçava fazer explodir o local. Oito horas depois entregou-se às autoridades. A arma que tinha consigo era falsa.

Durante grande das oito horas que durou o incidente, sequestrador e refém estiveram na varanda de um quarto localizado no 13.ª andar do hotel. O refém, um funcionário do hotel, estava com um colete vestido, alegadamente armadilhado com explosivos. "Ele [o sequestrador] deu-nos um prazo para atender às suas exigências - saída da Dilma, extradição de Cesare Battisti [italiano condenado por terrorismo e que se encontra refugiado no Brasil] e a aplicação efetiva da Lei da Ficha Limpa - e esse prazo está a acabar. Ele disse que vai explodir, caso não o atendamos", explicou ao início da tarde (hora local) o delegado Paulo Henrique Almeida.

Testemunhas contaram ao G1 que o homem fez o check in no hotel cerca das 8:30 (12:30 em Lisboa). Dez minutos depois subiu para o 13.º andar, bateu à porta de todos os quartos, pedindo às pessoas para saírem e avisando que se tratava de uma ação terrorista.

A Polícia Civil encontrou em casa do sequestrador, na cidade de Combinado (Tocatins), três cartas, datadas de dia 26, de despedida, nas quais pede desculpas à mãe e aos tios e explica estar "desesperado" com o atual "cenário político".

O sequestro terminou pouco depois das 16:00 (hora local) sem violência. O refém foi transportado para o hospital, tendo dito à polícia que não foi vítima de agressões. As autoridades anunciaram entretanto que a arma usada por Jac Souza dos Santos era falsa. Os alegados explosivos do colete ainda vão ser analisados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG