Angola pede explicações sobre a Guiné à União Africana

Angola quer saber o que a União Africana (UA) está a preparar para "repor a ordem constitucional" na Guiné-Bissau, manifestou o secretário de Estado das Relações Exteriores angolano, citado na edição de hoje o diário estatal Jornal de Angola.

Manuel Augusto, que interveio na quinta-feira em Adis Abeba, na reunião ministerial do Conselho de Paz e Segurança da UA, acrescentou que a situação na Guiné-Bissau "está cada vez mais preocupante e urge a necessidade de a UA e todos os envolvidos trabalharem unidos para ajudar a encontrar uma solução de paz", escreve o Jornal de Angola.

Na madrugada de domingo, um grupo de homens armados tentou tomar pela força o quartel dos para-comandos, uma unidade de elite das forças armadas da Guiné-Bissau, tendo resultado seis mortos dos confrontos, todos do grupo assaltante.

A informação foi prestada pelo Governo de transição, que diz que o grupo era comandado pelo capitão Pansau N"Tchama e acusa Portugal, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e o primeiro-ministro guineense deposto, Carlos Gomes Júnior, de envolvimento no ataque.

Na reunião ministerial da UA, foi ainda debatida a aplicação dos acordos entre o Sudão e o Sudão do Sul e a situação no Mali, onde o norte é controlado por islamitas radicais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG