10 mil nas ruas de S. Paulo. Tentam invadir prefeitura

Cerca de 10 mil manifestantes reuniram-se no início da noite na Praça da Sé, em São Paulo, caminhando em direção à Câmara Municipal (prefeitura) da cidade, no sexto dia de protestos contra o aumento na tarifa dos transportes. Uma parte dos manifestantes tentaram invadir o edifício e entraram em confrontos com elementos da Guarda Municipal, segundo imagens das televisões locais.

Perante os confrontos, os elementos da Guarda Municipal recuaram e entraram no edifício, enquanto os manifestantes ficaram do lado de fora e parte deles atiraram pedras que quebraram diversos vidros da fachada do prédio.

Os manifestantes dividiram-se: enquanto uma parte deles seguiu com atos de vandalismo, outro grupo gritava "sem violência", para tentar impedir a radicalização do movimento.

Parte dos manifestantes pacíficos chegou a dar as mãos, formando um cordão de isolamento em frente ao prédio, na tentativa de proteger a Prefeitura.

Durante o trajeto até à prefeitura, os manifestantes recordaram o conflito com a polícia na última sexta-feira, gritando "sem violência", ao passar em frente ao terminal Parque Dom Pedro II, local onde ocorreram os confrontos.

Após uma reunião realizada durante a tarde com os manifestantes, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (PT), admitiu pela primeira vez a possibilidade de retirar o aumento nas passagens dos autocarros, segundo informações da "Folha de São Paulo".

Outras cinco cidades brasileiras anunciaram a redução dos preços da condução, entre eles João Pessoa, na Paraíba; Recife, em Pernambuco; Cuiabá, no Mato-Grosso; e Porto Alegre e Pelotas, ambas no Rio Grande do Sul.

No Rio de Janeiro, após uma manifestação que reuniu mais de 100 mil pessoas na segunda-feira à noite, o prefeito Eduardo Paes convocou representantes do Movimento Passe Livre (MPL) para uma reunião, que ainda não ocorreu.

Uma nova manifestação foi convocada para a próxima quinta-feira na capital do Rio de Janeiro, enquanto no município de São Gonçalo, na região metropolitana, um protesto está a reunir hoje à tarde (noite em Lisboa) mais de 5.000 pessoas em frente à Prefeitura da cidade.

As manifestações, que se têm intensificado nos últimos dias, começaram há uma semana, originalmente para protestar contra o aumento da tarifa dos transportes públicos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG