Cinco adolescentes franceses detidos após vandalizarem túmulos de judeus

São acusados de terem danificado 300 túmulos na quinta-feira passada.

Cinco adolescentes entre os 15 e os 17 anos foram detidos para interrogatório em França, na sequência de atos de vandalismo contra túmulos de judeus, informou hoje o Ministério Público francês.

Os cinco jovens, oriundos da região Sarre-Union, na Alsácia, são acusados de terem danificado 300 túmulos na quinta-feira passada.

O caso chocou a comunidade francesa e chegou à justiça porque o mais jovem dos cinco decidiu assumir a responsabilidade.

"Aparentemente, ele ficou muito afetado com a escala da reação ao caso, incluindo declarações das mais altas autoridades do Estado", disse o procurador Philippe Vannier.

O rapaz, encorajado a entregar-se por um amigo, negou, porém, ter tido motivos antissemitas.

"Não sabemos as razões destes adolescentes, sem registo criminal, nem se terão convicções que possam explicar esse comportamento", frisou o procurador.

Os cinco rapazes derrubaram túmulos e abriram jazigos, tendo vandalizado também o monumento às vítimas do Holocausto situado na entrada do cemitério.

Esta não é a primeira vez que um cemitério judaico é alvo de vandalismo em Sarre-Union. Em 1998, cerca de 60 pedras tumulares foram derrubadas e três anos depois 54 sepulturas foram destruídas.

Porém, este caso mais recente assume outras proporções, na sequência do assassinato de quatro judeus num supermercado em Paris, que se seguiu ao atentado contra o semanário satírico Charlie Hebdo, há um mês, e do ataque de sábado contra uma sinagoga em Copenhaga, na Dinamarca.

O comportamento dos adolescentes franceses foi condenado pelo ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, como "um ato desprezível" e pelo primeiro-ministro, Manuel Valls, que acrescentou os adjetivos "antissemita e ignóbil".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG