China aberta à "comunicação com a Grécia" mas sem falar da visita de Tsipras

O primeiro-ministro chinês declarou que a China tem a intenção de elevar a cooperação entre os dois países a "um patamar mais alto", sublinhando que "a cooperação bilateral tem grande potencial".

A China indicou hoje estar disposta a "explorar continuamente possibilidades de cooperação e comunicação com a Grécia a diferentes níveis", mas escusou-se a pronunciar acerca da anunciada visita ao país do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras.

"Neste momento, não tenho informação quanto aos detalhes acerca da visita", disse a porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, Hua Chunying.

O gabinete de Tsipras anunciou na quarta-feira que o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, telefonou ao homólogo grego para o felicitar pela vitória nas eleições de 25 de janeiro e para o convidar a visitar a China.

"Valorizamos a nossa tradicional amizade com a Grécia e estamos dispostos a elevar a nossa cooperação a um patamar mais alto", salientou a porta-voz do MNE chinês acerca da "conversa telefónica" entre os chefes de governo dos dois países.

A "conversa" ocorreu na quarta-feira à tarde, "a pedido do primeiro-ministro grego", precisou.

Li Keqiang disse ao homologo grego que "a cooperação bilateral tem grande potencial" e que a Grécia pode ser "uma importante ponte entre a China e a Europa", adiantou a porta-voz.

Segundo a mesma fonte, o primeiro-ministro chinês afirmou que o investimento da China na Grécia, sobretudo no setor portuário, é "mutuamente vantajoso" e "também criou mais postos de trabalho" naquele país europeu.

Alexis Tsipras indicou que "o aumento do investimento chinês na Grécia é bem-vindo", referiu a porta-voz do MNE chinês

A China é considerada um "importante parceiro" da Grécia devido aos títulos do tesouro grego que comprou no auge da crise da dívida soberana na zona euro e aos investimentos que tem feito no país, nomeadamente no setor portuário.

Desde 2010, através de um contrato de 'leasing' de 35 anos, a exploração de dois terminais de contentores do porto do Pireu, nos arredores de Atenas, está entregue à China Ocean Shipping Group (Cosco).

Aquele consórcio estatal chinês já investiu cerca de 4.500 milhões de euros no Pireu e é candidato à compra de 67% do capital da Autoridade Portuária local, cuja privatização foi entretanto suspensa pelo novo governo grego.

"O porto do Pireu pode tornar-se uma porta de entrada da China na Europa. O porto do Pireu é como uma pérola no Mediterrâneo", disse o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, em junho passado, durante uma visita à Grécia.

A União Europeia é o maior parceiro comercial da China e cerca de 80% das exportações e importações entre os dois blocos são feitas por mar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG