Caçador de tesouros que descobriu o "navio do ouro" detido após dois anos em fuga

Tommy Thompson e a companheira foram detidos no hotel onde viviam sob identidade secreta. Eram procurados por terem fugido com lucros da venda das barras de ouro recuperadas de um navio naufragado.

Chama-se Tommy Thompson e era procurado há dois anos pelas autoridades norte-americanas. Considerado um dos "mais inteligentes fugitivos" de sempre pela Marinha norte-americana, Thompson, de 62 anos, estava em fuga desde 2012, tendo desaparecido a meio de uma batalha legal com os investidores que, em 1988, financiaram a sua caça ao "navio do ouro".

A história, digna de filme, começou em 1988, quando o engenheiro localizou o S.S. Central America, conhecido como o navio do ouro, que se afundara em 1857 durante uma tempestade ao largo do estado norte-americano da Carolina do Sul. O naufrágio tirou a vida a 425 pessoas e levou para o fundo do mar uma enorme quantidade de barras de ouro da Califórnia. Thompson e a sua equipa conseguiram recuperar milhares destas barras e moedas de ouro, que estavam a cerca de dois quilómetros de profundidade. Um feito que, à época, foi considerado altamente sofisticado em termos tecnológicos.

Segundo a BBC, a maior parte do metal preciso foi vendido em 2000 por 50 milhões de dólares, cerca de 44 milhões de euros. Mas os 161 investidores que pagaram a Thompson 12,7 milhões de dólares, cerca de 11 milhões de euros, para encontrar o navio nunca foram reembolsados, muito menos com lucros. Dois deles decidiram avançar para tribunal e reclamar o dinheiro na justiça. Segundo o processo judicial, o ouro que foi localizado com ajuda de sonares e recuperado com tecnologia robótica - que esteve ao dispor de Thompson graças ao avultado financiamento - está estimado em 400 milhões de dólares, cerca de 354 milhões de euros.

Thompson, que desde 2006 vivia em total isolamento na sua mansão na Florida, EUA, desapareceu em 2012 quando um mandado de captura foi lançado em seu nome no estado de Ohio, porque não compareceu em tribunal durante o julgamento. Depois de dois anos em que conseguiu fugir ao escrutínio das autoridades, o engenheiro foi detido esta terça-feira. Estava a viver com a companheira de longa data, Alison Antekeier - que também foi detida -, no hotel Hilton de Boca Raton, no sul da Florida.

Foi lá que o casal passou os últimos dois anos, sob um nome falso e pagando sempre em dinheiro o alojamento, uma suíte para duas pessoas, num hotel onde o quarto mais barato custa cerca de 200 euros. Para não serem detetados, Thompson e Antekeier deslocavam-se sempre de táxi ou transportes públicos e terão usado 12 números de telefone diferentes.

Os dois deverão ser agora extraditados para o estado norte-americano de Ohio. Na Florida, onde foi detido e obrigado a comparecer perante o juiz, Thompson prometeu lutar contra a extradição alegando uma "situação médica extrema" que inclui encefalite e alergias que iriam agravar-se caso regressasse ao norte dos EUA.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG