Ben Laden continuava a ser um "líder activo" da Al-Qaida

Ben Laden era um "líder activo da Al-Qaida", continuando a fornecer instruções à organização a partir da sua residência em Abbottabad, no Paquistão, onde foi morto na segunda-feira num ataque norte-americano, afirmou hoje um alto responsável dos serviços secretos.

"Os documentos analisados nos últimos dias mostram que Ben Laden continuava a ser um líder activo da Al-Qaida, fornecendo instruções estratégicas, operacionais e tácticas ao grupo", declarou o alto responsável a coberto do anonimato. Na operação durante a qual Usama Ben Laden foi eliminado, as forças especiais norte-americanas apreenderam uma importante quantidade de documentos que as agências de serviços secretos norte-americanas imediatamente começaram a analisar. "Os documentos apreendidos já nos forneceram um alerta importante", considerou o alto responsável norte-americano. Foi com base nesses documentos que os Estados Unidos descobriram que a Al-Qaida tencionava cometer atentados em comboios por ocasião do 10.º aniversário do 11 de Setembro, indicou na quinta-feira o departamento de Segurança Interna norte-americano.

No decurso da operação norte-americana para capturar o responsável pelos atentados de 11 de Setembro de 2001, foi igualmente feita a maior apreensão de sempre de vídeos de um líder da Al-Qaida. Os Navy Seals encontraram na residência fortificada onde se encontrava Ben Laden câmaras de vídeo, uma dezena de computadores, discos rígidos e uma centena de dispositivos para armazenamento de dados (CD, DVD, canetas USB) e também notas manuscritas.

Entre os elementos apreendidos, figuram cinco vídeos sem som, protagonizados por ein Laden que foram hoje divulgados à imprensa: num deles, vê-se o líder da Al-Qaida a ver televisão por satélite e a fazer zapping, parando nos canais que transmitem imagens suas; noutro, cujas imagens eram já conhecidas, prepara-se para disparar uma Kalachnikov; e num outro, que as autoridades norte-americanas dataram de entre 09 de outubro e 05 de Novembro de 2010, Ben Laden fala para a câmara, como nas mensagens que periodicamente difundiu nos últimos dez anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG