Autoridades não sabem quantos passageiros viajavam no ferry

Treze pessoas morreram, incluindo dois albaneses que participavam na operação de reboque. Três imigrantes ilegais estão entre os sobreviventes.

O número de vítimas mortais do incêndio no ferry que fazia a ligação entre Patras, na Grécia, e Ancona, em Itália, subiu ontem para 13. Mas só quando o Norman Atlantic chegar ao porto italiano de Brindisi, para onde está a ser rebocado, é que a verdadeira dimensão da tragédia poderá ser conhecida.

É que, entre as mais de 400 pessoas que foram retiradas com vida do navio na operação de resgate que durou mais de 36 horas, havia pelo menos três imigrantes ilegais. E a suspeita é que, na zona de carga do ferry, possam ter morrido muitos mais.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG