Atenas nega ter falta de dinheiro para pagar os salários e pensões

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, disse a um jornal alemão que o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, tinha admitido falta de liquidez. Governo grego nega-o.

As sondagens revelam que os gregos continuam a apoiar o governo do Syriza, com seis em cada dez a defender que Atenas não poderia ter conseguido mais nas negociações com os parceiros europeus. Mas a situação pode mudar caso o executivo fique sem liquidez para pagar os salários e as pensões. Algo que, segundo o Frankfurter Allgemeine Zeitung, o primeiro-ministro Alexis Tsipras teria admitido ser um problema já este mês, no encontro com o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, na sexta-feira. O governo grego já veio entretanto negar essa informação.

"Não há absolutamente nenhum problema de liquidez", disse o primeiro-ministro à saída de uma reunião com o ministro das Finanças, Yanis Varoufakis, onde estiveram também o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Euclides Tsakalotos, e o porta-voz Gabriel Sakellarides. A Grécia, que pagou na sexta-feira uma tranche de 336 milhões de euros do empréstimo do Fundo Monetário Internacional, tem ainda de pagar outros 896 milhões à mesma instituição até ao final deste mês.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG