Ataques aéreos russos destruiram posto de comando do Estado Islâmico

Ministério da Defesa russo garanmte que nas "últimas 24 horas, aviões efetuaram mais de 20 raides aéreos visando instalações do Estado Islâmico". Comando destruído fica perto de Raqa, no nordeste da Síria.

Ataques aéreos russos destruiram um posto de comando do grupo jihadista Estado Islâmico perto de Raqa, no nordeste da Síria, assim como um bunker subterrâneo, anunciou hoje o Ministério da Defesa russo, citado pela agência France Presse.

"No decurso das últimas 24 horas, aviões SU-34 e SU-24M efetuaram mais de 20 raides aéreos visando instalações do Estado Islâmico", indicou o Ministério da Defesa russo, assegurando que um posto de comando à Raqa e um bunker subterrâneo, que servia para guardar explosivos, foram destruídos.

Entretanto, Igor Konashenkov, porta-voz do Ministério da Defesa russo, citado pela agência EFE, adiantou que os ataques aéreos ocorreram nas províncias de Ided e Raqa, principal bastião do grupo extremista que se designa por Estado Islâmico naquele país árabe.

Os bombardeiros SU-24M destruiram também na zona de Yisr al Shugur (Idleb) uma base jihadista com armamento e automóveis militares utilizados pelos terroristas para cometer atentados, acrescentou o general russo.

Na mesma província ficou também totalmente destruída a fortificação do grupo extremista Estado Islâmico situada perto de Maaret al Nuaman, que continha armamento, munições e material explosivo.

Konashenkov explicou que a margem de erro das coordenadas das bombas KAB-500 utilizadas pelos aviões russos é de apenas cinco metros.

"Estas e outras bombas de alta precisão foram utilizadas nos últimos dias contra os obetivos do Estado Islâmico: centros de comando, armazéns de munições e fábricas que preparam explosivos para os terroristas suicidas", explicou.

O general russo revelou que os voos da aviação russa obedece a coordenadas fornecidas pelo comando militar sírio e que até ao momento não foram detetadas o uso de baterias antiaéreas por parte dos terroristas.

O general comentou ainda as imagens gravadas por drones em que se vêem fortes explosões causadas pelos bombardeamentos, o que demonstra que os alvos jihadistas acolhiam munições e material explosivo.

O porta-voz russo insistiu que o único objetivo dos bombardeamentos aéreos é liquidar os jihadistas e por essa forma defender o povo da ameaça terrorista.

O presidente norte-americano, Barack Obama, disse sexta-feira ser evidente que as forças russas na Síria "não distinguem entre o Estado Islâmico e a oposição moderada sunita e que isso é uma receita para o desastre".

"Refutamos a teoria de que para a Rússia quem estiver contra Asad é um terrorista", replicou o Ministério da Defesa russo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG