Vice-ministro dos Negócios Estrangeiros em Pequim

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão, Chikao Kawai, viaja hoje para a China para uma visita de dois dias destinada a aliviar a tensão bilateral causada pela disputa territorial das ilhas Senkaku/Diaoyu, disse à Efe fonte oficial.

Segundo um despacho da agência noticiosa espanhola, Chikao Kawai deve reunir-se na terça-feira com um alto dirigente do ministério dos Negócios Estrangeiros da China para abordar a deterioração das relações entre os dois países, antes de regressar no mesmo dia a Tóquio.

A deslocação à China ocorre pouco depois de o próprio Chikao Kawai ter manifestado a sua insatisfação pela "intrusão territorial" de vários navios-patrulha chineses em águas das ilhas alvo de disputa numa conversa ao telefone com o embaixador chinês no Japão, Cheng Yonghua.

Três navios-patrulha chineses entraram hoje numa zona considerada pelo Japão como fazendo parte das suas águas territoriais, o que levou o governo nipónico a convocar uma reunião extraordinária no gabinete do primeiro-ministro para estudar a eventual adoção de medidas.

Esta é a terceira vez que navios-patrulha chineses penetram em águas que o Japão considera suas desde 11 de setembro, dia em que Tóquio adquiriu três das cobiçadas ilhas.

O gesto provocou protestos da China e de Taiwan, que também reclama a soberania das ilhas, e reavivou o sentimento antijaponês na China, palco de uma onda de protestos contra o país vizinho.

Além disso, Pequim anunciou no domingo a suspensão da cerimónia que iria assinalar os 40 anos de normalização das relações diplomáticas com o Japão, prevista para esta semana.

"É muito dececionante", reagiu hoje o ministro porta-voz nipónico, Osamu Fujimura.

Face à escalada da tensão, Pequim também anunciou no domingo o envio, hoje, de uma delegação diplomática ao Japão, encabeçada pelo antigo diretor geral para os Assuntos Asiáticos, Yang Yanyi, na tentativa de melhorar a atual situação.

Acredita-se que o pequeno arquipélago da discórdia, que se encontra a cerca de 250 quilómetros da costa da China continental e a 200 a oeste do arquipélago japonês de Okinawa, seja rico em recursos marinhos e energéticos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG