Ramos-Horta lamenta morte da Marie Colvin

O Presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, lamentou hoje, em comunicado divulgado à imprensa, a morte da norte-americana Marie Colvin e lembrou que em 1999 a jornalista ajudou a salvar a vida de 1500 refugiados timorenses.

"Em 1999, Marie Colvin ajudou a salvar a vida de 1500 refugiados num complexo das Nações Unidas em Díli que estava cercado pelos militares indonésios após o referendo que escolheu a independência (...). Os timorenses não esquecem a sua salvadora, porque ela se recusou a deixá-los", refere o comunicado.

Marie Colvin, 56 anos, morreu quarta-feira juntamente com o fotógrafo francês Rémi Ochlik, de 28 anos, num bombardeamento das forças do regime sírio a Homs, que feriu outros jornalistas estrangeiros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG