Produção da Nissan no Japão cai 52,4% após terramoto

A produção de automóveis da Nissan no Japão sofreu uma redução de 52,4 por cento em Março devido aos efeitos do terramoto naquele país, anunciou a marca japonesa.

Apesar de a Nissan ter estabelecido novos recordes de produção a nível mundial, com um aumento de 9 por cento em termos globais, o terramoto de 11 de Março afectou as fábricas no Japão, o que fez diminuir a capacidade de vendas também a nível mundial.

Segundo um comunicado da marca japonesa, em Março, a produção fora do Japão aumentou 33,3 por cento quando comparado com o mês homólogo "para 335.114 unidades, atingindo um novo recorde para um único mês".

Nas suas fábricas na Europa, a espanhola, que produz o Primastar e NV200, "cresceu significativamente para 89,3 por cento comparativamente ao mesmo período do ano anterior para 14.959 unidades". Já no Reino Unido, a produção teve um incremento de 28,7 por cento "devido a um aumento da procura pelos novos Juke e Qashqai".

Em termos globais, no ano fiscal de Março de 2010 até Março de 2011, a produção da Nissan aumentou 24,5 por cento comparativamente ao mesmo período do ano anterior para 4.214.959 unidades, sendo que, no Japão "subiu 4,6 por cento para 1.072.590 unidades, devido à maior procura do Juke lançado em Junho e dos modelos de exportação, principalmente o Rogue e o QX56".

Em termos de vendas globais, estas cresceram 17,4 por cento comparativamente ao mesmo período do ano anterior, para 4.244.498 unidades, "estabelecendo um novo recorde absoluto para os 12 meses acumulados de Abril a Março", refere a marca.

As vendas fora do Japão aumentaram 22,1 por cento comparativamente ao mesmo período do ano anterior, para 3.644.296 unidades.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG