Príncipe saudita mata 2 mil pássaros ameaçados

Um príncipe saudita matou cerca de dois mil pássaros de uma espécie ameaçada de extinção numa caçada no Paquistão, denunciaram responsáveis locais esta quinta-feira.

As autoridades da província de Baluchistão dizem que o príncipe Fahd Bin Sultan e o grupo que o acompanhava utilizaram falcões treinados para o abate de abetardas houbara numa caçada em janeiro.

A caça à abetarda houbara, ave que vive em zonas semi-desertas, está teoricamente proibida, uma vez que a espécie está ameaçada de extinção no estado selvagem. No entanto, as autoridades paquistanesas terão emitido, para a ocasião, licenças especiais autorizando o príncipe saudita a capturar centenas de pássaros em dez dias.

"O príncipe matou, sozinho, 1977 aves e as pessoas que o acompanhavam 123", detalha um responsável do ministério das Florestas paquitânês à AFP, pedindo anonimato. "Pedimos aos nossos superiores hierárquicos para porem fim a esta prática, porque os pássaros estão em perigo", acrescentou.

O chefe de serviços de fauna do Paquistão do distrito onde a caçada teve lugar confirmou ter pedido às autoridades para intervirem neste assunto, diplomaticamente sensível.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG