Polícia afegão mata uma jornalista e fere outra

Uma jornalista alemã da agência norte-americana Associated Press morreu hoje e outra ficou gravemente ferida, vítimas de disparos de um polícia afegão quando faziam reportagem sobre as presidenciais de sábado.

"Anja Niedringhaus, 48, fotojornalista alemã internacionalmente reconhecida, teve morte imediata. Kathy Gannon, jornalista canadiana, foi ferida e está a receber cuidados médicos", noticiou a agência norte-americana a partir de Cabul.

Segundo a AP, as jornalistas estavam dentro da sua viatura no distrito de Tanai, na província de Khost (leste), em reportagem sobre a distribuição dos boletins de voto para as eleições de sábado, operação rodeada de fortes medidas de segurança em todo o país.

Anja Niedringhaus é a terceira jornalista a trabalhar para 'media' ocidentais morta no Afeganistão desde o início da campanha eleitoral, depois do anglo-sueco Nils Horner, abatido a tiro em plena rua no centro de Cabul, a 11 de março, e do afegão Sardar Ahmad, da agência France Presse, morto num ataque suicida num restaurante da capital, a 21 de março.

As duas jornalistas estavam em reportagem, a acompanhar os funcionários eleitorais que distribuem os boletins de voto, quando "um comandante de unidade chamado Naqibullah se aproximou do automóvel, gritou 'Allahu Akbar' (Deus é grande) e abriu fogo contra elas, sentadas no banco de trás", segundo a Associated Press.

O comandante "rendeu-se depois aos outros polícias e foi detido".

O governador da província, Abdul Jabbar Naeemi, confirmou que o atacante era um comandante da polícia e que foi detido imediatamente após o incidente.

Khost é uma província remota, junto à fronteira com as zonas tribais paquistanesas, com forte presença da resistência dos talibãs.

O Ministério do Interior afegão emitiu um comunicado em que "condena com firmeza" o ataque perpetrado por "um polícia" e anunciou a abertura de um inquérito.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG