Peritos alemães querem usar submarino não tripulado para procurar avião

Um grupo de peritos do instituto Helmoltz de Oceanologia de Kiel, Alemanha, pretende realizar buscas ao avião malaio desaparecido com um minissubmarino não tripulado e espera que esta missão se inicie assim que se encontrem os primeiros vestígios da aeronave.

Segundo a edição da próxima semana na revista Der Spiegel, citada pela agência EFE, o 2Abyss "é um dos três submarinos no mundo com condições para realizar buscas a partir de 3.000 metros de profundidade".

Os cientistas de Kiel querem colaborar com o instituto norte-americano Woods-Hole que tem os dois submarinos capazes dessa tarefa.

"Já temos um acordo com os colegas norte-americanos para atuarmos conjuntamente", indicou à Der Spiegel o diretor do Instituto Helmholtz, Peter Herzing.

Uma operação foi hoje lançada nos oceanos Índico e Austral para encontrar o avião da Malásia Airlines, desaparecido há duas semanas.

Objetos que podem estar ligados ao avião foram detetados por satélites na semana que passou entre a ponta sudoeste da Austrália e a Antártida e alguns deles foram avistados no sábado por uma aeronave civil.

Trata-se de objetos que estão próximos uns dos outros na área de pesquisa australiano, que se estende por uns 36 mil quilómetros quadrados num dos pontos mais inóspitos do planeta, segundo o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott.

"Ainda é cedo para estarmos certos, mas temos sinais muito credíveis e uma esperança crescente de que estamos perto de saber o que aconteceu com o avião", indicou.

Um comunicado do ministério dos Transportes da Malásia informou hoje que recebeu novas imagens de satélite da França que mostram objetos flutuantes na principal área de pesquisa do avião desaparecido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG