Pelo menos 19 mortos nas monções no Sri Lanka

As chuvas de monções e os ventos fortes no Sri Lanka provocaram pelo menos 19 mortos e dezenas de desaparecidos, a maioria pescadores que foram apanhados no mar, disseram hoje fontes oficiais citadas pela France Presse.

Segundo a agência, que cita um responsável governamental que tutela a gestão de desastres, Sarath Kumara Gunaratne, a Marinha e a Força Aérea estão a desenvolver buscas para encontrar 36 pescadores que estão dados como desaparecidos desde que a monção se abateu sobre o país, no sábado.

"Foram já encontrados os corpos de 18 pescadores, enquanto o corpo de outra pessoa foi descoberto em terra", revelou aquele responsável.

Adiantando que a operação conjunta de resgate está em curso, Sarath Kumara Gunaratne explicou que, "até agora, 21 pescadores que apresentavam ferimentos foram resgatados e transportados para o hospital".

No sábado, as autoridades confirmaram a morte de cinco pessoas vítimas das monções que, todos os anos, atingem esta ilha asiática e que, apesar de trazerem a tão necessitada chuva, frequentemente causam danos materiais e perdas de vidas.

O organismo meteorológico do país informou que para hoje estão previstas chuvas fortes em muitos locais da ilha, acompanhadas por ventos com velocidade superior a 70 quilómetros/hora.

As forças de segurança foram também mobilizadas para retirar árvores e linhas de energia caídas em várias estradas, informou o porta-voz militar Ruwan Wanigasooriya.

Em maio, sete pessoas morreram, quando um ciclone tropical atingiu a costa este do país.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.