Paquistão celebrou hoje o "Dia de Malala"

Jovens estudantes rezaram hoje, em todo o Paquistão, em sinal de apoio à sua "heroína" Malala Yousufzay, a ativista pelo direito à educação das mulheres que sobreviveu a um ataque dos rebeldes talibãs, no mês passado, e que prometeu "continuar a sua luta".

Orações nas escolas, promessas de ajuda financeira para as crianças pobres poderem estudar, manifestações espalhadas pelas principais cidades do país, imagens da jovem Malala difundidas em canais locais. O Paquistão celebrou hoje o "Dia Mundial de Malala", organizado em cooperação com a ONU e várias Organizações Não Governamentais, diz a AFP.

Em Mingora, cidade natal de Malala, no Vale do Swat, os estudantes realizaram uma cerimónia em homenagem à sua amiga, baleada e ferida no mês passado pelos rebeldes talibãs. Os alunos da escola da jovem ativista, rezaram e acenderam velas, numa cerimónia fechada ao público, depois de as autoridades escolares o terem recomendado para não atrair a atenção dos rebeldes.

"Ela é a heroína do nosso país, ela representa a identidade do Vale do Swat", disse à AFP, Abaidullah, um estudante de 15 anos que estuda numa escola perto da de Malala.

"Desde o ataque contra ela temos tido ainda mais coragem para estudar e continuar a sua luta pela educação", acrescentou Ashma Khan, um estudante de 12 anos, que disse ser "um bom amigo" de Malala Yousufzai.

Por razões de segurança nenhuma manifestação pública foi realizada em Mingora neste dia. "Eu ainda estou apavorada, choro cada vez que penso no que aconteceu", disse à AFP Kainaat Riaz, uma das duas jovens feridas, juntamente com Malala, no ataque do dia 9 de outubro.

"Eu vi Malala, com os meus próprios olhos, num banho de sangue...Ela dizia todos os dias que devíamos fazer qualquer coisa pela educação das raparigas e não tinha medo de pôr a sua vida em risco por isso", acrescentou a jovem. "A minha mensagem neste dia da Malala é que o país inteiro reze por ela para que ela volte para nós rapidamente".

O governo paquistanês, que gasta menos de 2,5% do seu Produto Interno Bruto em educação, anunciou, este fim de semana, a criação de um programa para doar uma pequena quantia monetária a cerca de três milhões de crianças pobres, em troca da sua presença nas aulas.

Personalidades do mundo do entretenimento, como a atriz Angelina Jolie , o cantor canadense Justin Bieber e estrelas do futebol como David Beckam, enviaram, neste dia, o seu apoio a Malala.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG